Mais de 90% das indústrias vão investir em 2011

Nove entre 10 indústrias planejam investir em 2011. É o que revela pesquisa realizada pela CNI – Confederação Nacional da Indústria. A pesquisa apurou ainda que os investimentos terão como alvo prioritário o mercado interno (77,8% do total). O aumento da capacidade produtiva é a maior motivação para 32,7% dos investimentos programados. O valor médio dos investimentos previstos para o ano que vem deverá ser 7% maior do que os executados neste ano.

 

A pesquisa Investimentos na Indústria, divulgada no último dia 2 de dezembro, mostra que houve aumento na expectativa de investimento em 2011 em relação ao esperado para 2010. No ano passado, 89,6% das indústrias consultadas projetavam algum investimento para este ano. Agora, 92% das consultadas planejam investir no ano que vem.

 

“É um reflexo da retomada do nível de atividade, uma vez que boa parte dos setores já recuperou os níveis de produção pré-crise. As indústrias estão se preparando para atender o crescimento da demanda nos próximos anos”, avaliou Flávio Castelo Branco, gerente-executivo de Política Econômica da CNI.

 

Mercado interno – Segundo a pesquisa, 77,8% das empresas tem como alvo prioritário o mercado interno ou apenas ele. Do total, 42,8% das consultadas informaram que investirão principalmente para atender o mercado interno e 35% disseram que vão aplicar recursos somente para atender o mercado interno.

 

O investimento médio no ano que vem deverá ser de R$ 6,8 milhões. Esse valor é 7% maior do que o verificado neste ano, de R$ 6,34 milhões. Na comparação com 2009, o investimento médio deste ano foi 80% maior, segundo a pesquisa da CNI. No ano passado, quando o Brasil e o mundo sentiram mais fortemente os efeitos da crise mundial, o investimento médio por empresa foi de R$ 3,5 milhões.

 

Motivação – O aumento da capacidade produtiva foi a principal motivação para esses investimentos. Renato da Fonseca, gerente-executivo de Pesquisa da CNI, porém, chama a atenção para os investimentos voltados à inovação. “Eles devem ser em 2011 o dobro do que foram no ano passado, o que mostra a preocupação do setor industrial em melhorar a competitividade e se adequar aos desafios da concorrência internacional”, salientou.

 

Segundo a pesquisa Investimentos na Indústria, a introdução de novos produtos e a introdução de novos processos produtivos passaram de 15,3% das respostas sobre motivação dos investimentos planejados para este ano para 30,7% da motivação dos investimentos programados para 2011. Introdução de novos produtos cresceu de 10,8% na pesquisa anterior para 21,3% na atual edição. Já a introdução de novos processos produtivos passou de 4,7% para 9,4%.

 

Fonte: site Usinagem Brasil

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Associações e parceiros