As lições da crise na era da globalização

O Brasil e o Mundo enfrentam momentos turbulentos relacionado ao desdobramento de uma crise cujo olho do furacão está nos Estados Unidos. O berço do capitalismo e do sonho americano fora sacudido.

 

A fome de crédito tornou-se compulsiva e a sede (ganância capitalista) de compra por produtos sobrevalorizados, proporcionou o inchaço e a explosão da maior bolha da história econômica mundial.
Muitas ações conjuntas têm sido realizadas pelos países desenvolvidos e organizações industriais que foram atingidos em cheio resultando em retração de suas economias e vendas.

 

Entretanto uma pergunta parece ecoar de dentro das organizações atingidas. O que essa crise tem a nos ensinar e quais são suas lições?

 

A lição preponderante de uma crise é a explícita demonstração do quanto ainda somos ineficientes na administração dos recursos que temos e na forma como utilizamos.

 

Há a necessidade da busca por mecanismos de controle capazes de embasar as decisões com dados concretos e com garantia que as relações de negócios não sejam quebradas.

 

O descaso ambiental de muitos anos é refletido no saturamento de alguns sistemas que não comportam mais as mesmas atitudes irresponsáveis perante o ecossistema que tem devolvido na mesma moeda em forma de desequilíbrio provocado pela exploração sem sustentabilidade.

 

Há solução para o caos imperativo dos dias atuais. Na verdade essa solução é o caminho capaz de restabelecer e manter a ordem e o progresso global.

 

Só a formação e a informação de qualidade podem encurtarem as distâncias entre o sonho e a realidade. O fruto dessas duas forças potenciais são incontestáveis, pois juntas podem criar, inovar, organizar, reestruturar, melhorar e alavancar a qualidade de vida das pessoas e do ecossistema ao qual nos inserimos. A formação e a informação de qualidade significa poder contar realmente com os recursos disponíveis em todos os sentidos (conhecimento, recursos naturais, físicos, recursos monetários, etc), de forma ética e responsável aplicando-os em produtos que atendam as necessidades prioritárias de mercado. A força do capital quando bem aplicada gera emprego e renda melhorando a qualidade de vida das pessoas.

 

Nunca estivemos tão perto do céu (limite), nunca fomos tão conectados e bem informados, entretanto nunca fomos tão iludidos de que o sistema perfeito passa somente pela via da cultura do consumo irresponsável e sem fim (limites).

 

Temos nova chance para recuperarmos o tempo perdido e revertermos a situação.

 

O mar está agitado, torna-se necessário redirecionar as velas para manter o rumo. Esse redirecionamento passa pela formação de qualidade (educação) onde acreditar é agir de forma inteligente gerando resultados concretos e duradouros.

 

Uma sociedade responsável aplica bem o seu conhecimento e sabe conviver com a tecnologia e o meio ambiente de forma harmônica, sendo essa a principal lição que com certeza garantirá para as futuras gerações ensinamentos eficazes de como suplantar momentos de crise sem que o mundo acabe devido a bolhas infladas pela cultura do consumismo irresponsável.

 

Autor: Msc. Eng. Mec Adriano Albano
Mar/2009.
Coordenador de Produção e Professor na área de engenharia mecânica da SOCIESC

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Associações e parceiros